quarta-feira, 4 de junho de 2014

E, entretanto, é hoje e passaram 3 anos. 12 anos aliás.

E amanhã acaba tudo! Ou melhor, não acaba tudo, eu é que, às vezes, sou um bocado melodramática. Mas pronto, acaba uma etapa. Uma grande etapa e eu não consigo não estar nostálgica com tudo. Já pensei que fosse chorar muito, mas hoje chego à conclusão que, secalhar, não vou chorar assim tanto. São etapas da vida, é assim. E se, por um lado, fico super contente e ansiosa com o fim disto tudo, porque também estou muito cansada disto (MUITO MESMO!), por outro, fico cheia de pena. Porque foram muitos anos e já era o hábito. E é estranho, porque para o ano já não volto para a escola, porque já não vou conhecer os cantos à escola, nem saber o nome das funcionárias todas. E não deixa de ser estranho e triste. Afinal de contas, tudo o que acaba é triste. E é amanhã o último dia da minha vida escolar. A vida universitária é a próxima e não consigo não estar ansiosa e cheia de medo.
Falando apenas dos três anos que passaram... Foram os mais cansativos de toda a minha vida. Os mais exaustivos. Os mais stressantes. Os mais assustadores. Mas tiveram tantas coisas boas! Trouxeram-me o gajo que dá os melhores conselhos, com quem tenho as melhores conversas e que me dá tanto na cabeça. Trouxeram-me a minha menina, aquela que é igual a mim e que já aturou tanta porcaria e tanto choro. Trouxeram-me o mais tolinho de todos, o bêbedo mais fixe de sempre e que quando quer é tão querido com as princesas. E, por fim, trouxeram-me o mais atrasado mental, o mais bipolar, o mais mauzinho de sempre, mas que é também o melhor amigo do Mundo, o que me tenta manter calma, sempre que não estou, o que me dá abraços quando estou mal, o que é querido nas horas mais inesperadas. E são as melhores coisinhas do Mundo. Trouxeram-me também outras pessoas igualmente espetaculares, saídas loucas e memoráveis, aulas hilariantes, aulas entediantes, choros de tanto rir, choros de tanto chorar, abraços fofinhos, férias e semanas inesquecíveis, campanhas para a AE das quais vou-me lembrar sempre e tantas, mas tantas horas bem passadas. Foram três anos cheios, muito cheios, mas que passaram a correr.
E parece que foi ontem que estava a entrar numa sala com pessoas às quais não estava nada habituada. E parece que foi ontem que só queria voltar para o colinho da minha turma do ensino básico. E parece que foi ontem... E, entretanto, é hoje, passaram três e eu nem sabia o que estava para vir.

Sem comentários: