terça-feira, 15 de outubro de 2013

São pequenas coisas, mas fazem-me feliz

Quando estou no ginásio a abanar-me por todos os lados, a tropeçar nos meus próprios pés e vermelha que nem um tomate e olho para a porta e está lá o meu melhor amigo a rir-se imenso de mim, o meu coração fica mesmo quentinho. Costumo ir com uma amiga para o ginásio, mas quando o vejo sinto que "estou em casa". Não sei explicar, sinto-me bem e fico feliz. E por mais que depois ele me goze, não me importava que fosse para a porta da sala sempre. É quase o mesmo sentimento que tinha nos primeiros dias da escola primária e, no recreio, via a minha mãe pela escola (fazia parte da Associação de Pais - não pensem que ia lá de prepósito por minha causa). Ele é daquelas pessoas mesmo espectaculares. A nossa amizade começou por causa de outras pessoas. Ele ajudou-me por causa do que falei no último post e eu tentei ajudá-lo em algo parecido. E criámos logo uma amizade incrível. Entretanto, fui um bocado estúpida, mas passou. Hoje sei que posso contar com ele para tudo; e vice-versa. Ainda hoje saltei-lhe para o colo quando me deu uma notícia quase insignificante para outros. Mas para ele era importante e eu fiquei feliz por ele. Só espero mesmo que tudo lhe corra bem. E que assim continuemos... hummm... para sempre.

Sem comentários: